carta do leitor

Silvia,

Sou só mais um internauta de opinião pouco importante. Mas preciso te dizer que seu texto é muito, mas muito poderoso. Mesmo. Toda vez que leio suas ideias, concordo com quase tudo e sinto um tipo de comichão nas mãos, braços e garganta, querendo responder, querendo dizer um: “Porra, mas é exatamente isso!!” Tudo seu é carregado e verdadeiro. Não saberia ponderar percentualmente o quanto é visceral e o quanto é cerebral. E sempre gera um desconforto necessário, um riso nervoso, algum grau difícil de algo. Quando vejo que há coisa nova, começo a ler com o risco de quem aperta uma casca de laranja apontada para o rosto, esperando um pouco de perfume e/ou olhos queimando. Longe de mim querer soar poético ou coisa que o valha. Só que é muito difícil traduzir o que seu texto me faz sentir. Tentei aqui. E preciso te agradecer pelo seu trabalho tão sincero, corajoso, genuíno e raro. Já li, assisti e vivi muita coisa nessa vidinha. Poucas vezes senti o que sinto quando leio Silvia Pilz. Por favor, não pare. Muitas pessoas precisam ler o que você escreve. Muitas pessoas precisam sentir esse incômodo, no amplo sentido.

por Guilherme V.

Resposta:

Depois disso, só me resta agradecer imensamente e seguir em frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *