devagar e pra sempre

Mulher percebe o tesão de um homem através da fascinação [ou não] dele pelo sexo oral. Uns fazem por fazer, seguem o roteiro dos esforçados. Outros fazem por prazer. Deliram. Não sabem pular esta etapa. Se excitam ao sentir o cheiro e o gosto das entranhas da mulher. Estes, os que fazem porque gostam, são os machos. O resto, é resto.

Estes viram mulheres do avesso. Deixam qualquer uma de ponta-cabeça. Tive um ex-namorado que sempre fez tudo exageradamente certo. Chegava a ser desconcertante. Talento sem esforço. Sem pressa, para que aquilo demorasse [sempre e pra sempre] mais um pouquinho para acabar. Entre todas as nossas idas e vindas, perdemos quase tudo, menos a inexplicável química.

Ele controlava a minha ansiedade e a dele. Me tirava do prumo quando ficava de longe, me observando e me cercando. Eliminava a concorrência sem fazer o menor esforço. Agia como se fosse meu dono [e era]. Devagar, ele segurava a pressa do meu corpo e me beijava como se estivesse diante de uma fonte que só se abria para ele.

Coisa rara, mágica e devastadora. Conhecia meu corpo inteiro e adivinhava meus pensamentos. Eu era a TV e ele tinha controle remoto. Mesmo antes de namorarmos, na época em que conversávamos 72 horas seguidas, a gente sempre encontrava um jeito de estar um perto do outro. E mesmo que o perto fosse distante,
era claro que aquilo já era sexo, no olhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *