fadas

 

Não é um conto erótico de terceira. É um relato de uma mulher que resolveu entrar no seu campo de concentração e masturbação [onde tudo é permitido] e falar sobre um proibido que jamais deveria ter sido. Mulher que não se permite ser descoberta por outra mulher não faz idéia do que está perdendo. Já fui discreta, já deixei o dito pelo não dito. Já disfarcei e já me enrolei. Hoje, sem pudor e sem sombra de dúvidas, afirmo: sexo entre fadas é um puta sexo.

Fadas são mulheres que transitam entre o lado de lá e o lado de cá. Eu ‘descobri’ esse universo no corpo de uma professora. Demorei um tempo para perceber que cada movimento daquela mulher me deixava meio olhando pra lá e pra cá, como quem tenta entender ou disfarçar o que há. Só sei que eu cruzava minhas pernas e sentia o coração bombar. Meu cérebro fingia estar confuso. Meu corpo não.

Depois de quase dois meses de tortura, numa ida até a cozinha, já cansada de tentar me concentrar [era hebraico o que ela tentava me ensinar], acabei me deixando levar.

Não desviei os olhos, parei de contar os minutos para que ela fosse embora e eu pudesse me masturbar. Decidi encarar o desejo, o tesão que eu sentia e reprimia, decidi me lembrar das inúmeras vezes que as nossas pernas se encostaram debaixo da mesa e do jeito ‘nada convincente’ que a gente adotava para disfarçar. Na cozinha, em busca de água, começamos a nos beijar. O desejo reprimido fazia faltar o ar.

Os gemidos eram intensos, muito fortes, impossível controlar. Contra a parede, meu corpo deixava os azulejos quentes. Ela foi se agachando e me torturando. Era dia de promoção. Tenha um orgasmo e ganhe dois sem fazer o menor esforço.

Ajoelhei-me, pedi pra ela sentar, abri suas pernas, afastei sua calcinha pro lado e… quero ser John Malkovich. Tentei começar devagar. Mas, conforme ela se contorcia, eu acelerava. Cheirava e lambia. Meu corpo inteiro ardia. Foram quatro horas de aula por todas as partes da casa. Há tempos eu não ficava com o corpo inteiro suado de saliva. Há tempos, eu não era bem comida.

Fadas sabem trepar. Vale a pena experimentar.

3 comentários sobre “fadas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *