de smart não tenho nada

Em algum momento você não tem escapatória. Os problemas com a telefonia móvel já não podem mais ser resolvidos pela central de atendimento e você vai encarar a loja mais próxima da sua operadora. Você tenta minimizar o desconforto e se prepara para chegar antes dos outros. Fica na porta de um shopping, junto com os empregados, esperando o segurança abrir as portas do inferno e liberar a entrada da manada.

A telefonia móvel – o lado negro da força – escravizou a humanidade. Independente da classe social, da raça, da religião ou da profissão. Essa multidão de retângulos veio para ficar e não tem manual de etiqueta. Perceba que as pessoas insistem em mostrar vídeos ou fotos. Seja o primeiro banho do bebê, um trecho da festa da tia Odete ou piadas da Internet. Não perguntam se você está diposto a assistir. Metem o retângulo na sua cara e esperam por comentários. Os mais educados não deixam o aparelho exposto, num almoço. A grande maioria faz o oposto. Não consegue dar um passo sem registrar os fatos. São reality shows personalizados.

Não espere um atendimento diferenciado. Você faz parte de uma massa que está emburrecendo a cada dia que passa. Divirta-se. Você e todos os que estão ali, com uma senha na mão, fazem parte da mesma tribo e estão prontos para encarar um daqueles voos noturnos da Gol, com 36 escalas. Você é só mais um cidadão comum, idiota, classe média, adorador do Whatsapp e de milhares de aplicativos.

Na mesa ao lado uma senhora revestida de acessórios dourados e com um perfume forte explica para o atendente, aos berros, que o marido teve um AVC e que ela quer cancelar a conta. O atendente, treinado para não deixar ninguém sair de lá feliz, diz: Se ele é o titular da conta, senhora, só ele pode “estar efetuando o cancelamento da mesma”. A senhora perde a linha e diz que vai colocar a operadora na justiça.

Do outro lado, um cara com os calcanhares de fora e com três aparelhos em punho, discute as vantagens que cada operadora oferece. Existe uma tribo que não se contenta com um telefone. Eles têm vários. Pelo que entendo, parece que sai mais barato. São eles os que perguntam qual a sua operadora antes de perguntar o número do telefone. Eu faço a linha simpática. Converso com o atendente, como se eu estivesse realmente interessada na vida dele, comento sobre a quantidade de pessoas estressadas que eles têm que aturar durante a jornada de trabalho, faço o plano que o cara me sugerir, assino o documento que vai me deixar presa ao plano por pelo menos um ano, pego o telefone rosa flamingos de Miami que a operadora me deu de presente – porque era o único que tinha – e saio. Uma perfeita idiota.

_ A senhora tem certeza que não quer o 7, 8, 9?

_ Não. Esse ultrapassado está ótimo. É vintage.

Olho pro aparelho criado por Mr.Jobs e penso: Parabéns, Steve. Produto nobre. Sonho de todo pobre.

_ A senhora quer capa? _ De jeito nenhum. Acho capas o ó.

_ E película protetora? _ Jamais.

Sem saber usar e sem ter o menor interesse nas facilidades que trazem os aplicativos, aqui estou eu, com um Iphone na mão. Em algum momento, alguém me convenceu de que este aparelho mudaria minha vida.

E eu caí no conto. Pronto!

16 comentários sobre “de smart não tenho nada”

  1. Ninguém me convenceu a nada, comprei porque quis, nenhum vendedor insano, boa pinta ou não, recebedor de comissão ou não me convenceu. Comprei Pq eu precisaria algum dia dessa PODEROSA ferramenta (Apple), e o dinheiro que desembolsei pouco me importa, a porque eu AMO meu aparelho, A qualidade supera todo e qualquer trauma pos compra. Acho ridículo ficar expondo os operadores de companhia telefônicas e seus devidos serviços prestados. A vida de cada um, diz respeito a cada um, ninguém por mais rico que seja tem um plano de vida traçado e 100% certo. As incertezas existem e precisam ser superadas, claro que tem milhões na conta bancária como o fundador da Apple está pouco se lixando com você que vai ainda em “porra” de shopping. Compra online, ou no exterior. Se eu fosse de classe média rica faria isso. Já que não gosta do Brasil (povo brasileiro), pessoa dignas que tenta ganhar seu dinheirinho felizmente, vai ao estrangeiro reclamar com o dono da Apple por exemplo. E Brasil! Quanto povinho se incomodando com a vida dos outros.

  2. Ótimo texto.
    Aline deve tá pegando algum operador de companhia telefônica. Certamente conheceu via Tinder ou outra app. Dessa PODEROSA ferramenta tecnológica.

  3. Ta gata na foto em Sílvia…. Como sou pobre, vai a jargão “com todo respeito, desculpe qualquer coisa”… Smart esse mal necessário.

  4. Aline ?
    Uma , provavelmente perua , dessas que moram em Jacarepaguá ou Méier e ficou irritadérrrrrrrimmmmmmaaa
    com seu texto explanando a vida da infeliz …
    Ela era aquela perfumosa que estava na loja tentando cancelar a linha pq o marido teve um AVC …
    Fico me perguntando se o AVC do pobre foi trágico ou libertador ?
    ( to 99% opção b )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *