o falso desapegado

O falso desapegado é um sujeito frustrado que se faz passar por desapegado. Frequenta restaurantes baratos, despreza quem valoriza conforto e luxo, vive num cubículo e se declara plenamente satisfeito, ao lado de sua namoradinha intelectual, que dá aulas particulares de história. Só usa transporte público e, apesar de ter consciência de que está contribuindo com o narcotráfico, o personagem curte maconha.

Parte do discurso [ porque o discurso é extenso pra caralho ]:

_ Não preciso de muito para viver! Sou uma pessoa simples! Não suporto gente fútil! _ Opa, amigo! Cuidado com o que você não suporta

Com o passar do tempo, percebe-se que o falso desapegado usa esse discurso como escudo. Apesar de não precisar de muito para viver, ele é vaidoso, orgulhoso e se sente menor quando está cercado de pessoas que não vivem o mesmo personagem criado por ele. Não entendem a arte de concordar em discordar. Se o assunto for política, corra.

Isso fica claro quando o falso desapegado se defende – sem que ninguém o tenha atacado –  quando seus olhos brilham diante de uma Harley, por exemplo. No fundo, falso desapegado odeia e ama gente ‘com condição’.

É inseguro e oscila. Em alguns ambientes, sente orgulho em dizer que a mãe é manicure. Em outros, tem receio. Está sempre na defensiva. Chega a ser arrogante. E, normalmente, não tem senso de humor. Leva tudo pro lado pessoal.

Já tive um amigo assim. Um dia, eu disse que tinha certeza que ele detestava usar perfumes nacionais e que só os comprava porque eram mais baratos que os importados.

Disse isso porque o cara adorava se cuidar, tratar dos cabelos, da barba, enfim, se preocupava muito com sua aparência. Por mais que comprasse suas roupas em lojas populares. O cara levava horas montando o look do hippie sujinho.

Bom, perdi um amigo. Falso desapegado virou um monstro. Não gostou da brincadeira do perfume. Esse é o tipo do sujeito que me ama hoje e, amanhã, me chama de coxinha e acaba comigo nas redes sociais. #elitebranca #fascista.

Faço uma aposta. Ofereça ao falso desapegado um apartamento em Paris.  Se ele negar e disser que está bem aqui, levando sua vida simples, me procure. Eu arranco meia dúzia dos meus dentes.

 

 

 

14 comentários em “o falso desapegado”

  1. Silvia, folgo em tê-la. O reencontro se deu na recuperação de um HD, junto com Nassif, DCM e Bolsonaro. Como sempre, bem acompanhada…

  2. Tá cheio de pau no cu assim. Gente chata, amarga. O pior é que gasta tanto com coisa de pobre que até podia comprar coisa melhor. Finge que tá feliz com pouco.

  3. Na outra ponta , há aqueles que poderiam viver com suas reais condições e se atrevem a comprar IPhone dividido em 24x…
    Dualidades, indiossincrasias… enfim, conviva-se com isso.

  4. Silvia apesar de dizer que arrancaria meia dúzia de dentes, de alguém que recusasse um apto em Paris, vc se considera uma falsa desapegada(???) ou já foi considerada uma???
    Minha simples dúvida.

  5. Acho que a autora em seus textos não defende lados, mas aponta as hipocrisias do dia a dia de alguns grupos. São muitos personagens distintos que para alguns leitores são puro deleite ou uma “puta sacanagem”. Alguns leitores que se riem, podem ao mesmo tempo criticar a autora quando convém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *